quarta-feira, março 07, 2007

Saudades de mim mesmo

Quando alguém começar a acompanhar este blog, e espero que isto um dia venha a ocorrer, conhecerá de cara um dos meus defeitos: a preguiça. Devo ter escrito pela última vez ainda no ano passado. Se eu tivesse sido mais disciplinado, talvez este blog trouxesse, agora, uma quantidade imensa de textos, notícias, surpresas, belos acontecimentos, algumas decepções - enfim, toda a química que parece compor a nossa vida.
De minha última entrada neste blog até hoje, dia sete de março, muitas coisas boas ocorreram na minha vida profissional. Fui indicado ao Prêmio Shell de melhor autor pela peça Abre as Asas Sobre Nós, que voltou ao cartaz no Teatro Sérgio Cardoso, onde fez uma carreira satisfatória, embora muito tumultuada no início. Concluí uma nova peça, chamada A Noite do Aquário, que me permitiu trabalhar ao lado de amigos queridos e talentosíssimos, como o diretor Sérgio Ferrara e os atores Chico Carvalho, Germano Pereira e a maravilhosa Clara Carvalho, do Grupo Tapa. Sei que eles não ficarão bravos por eu ter destinado à Clara um adjetivo a mais: mas o fato é que ela é maravilhosa mesmo e é também a única mocinha no meio desta história que está sendo contada por homens. Por isso, um pouco de delicadeza para com ela nunca é demais. Vi uma peça escrita há um ano e meio, Com Vista Para Dentro, estrear no Teatro Vivo com o nome de Andaime. Sobre este espetáculo, eu poderia passar um dia inteiro escrevendo. A peça está uma delícia, os atores Claudio Fontana e Cássio Scapin estão dando um show em cena, a direção do Elias Andreato é uma aula de delicadeza e o cenário e figurino do Gabriel Villela são de uma contemporaneidade emocionante e ao mesmo tempo dolorida. Andaime, além de ser meu primeiro espetáculo a ocupar um grande teatro comercial, me aproximou muito destes quatro profissionais (Cassio, Claudinho, Elias e Gabriel) que eu já admirava muito, mas com quem nunca tivera a oportunidade de conviver. Hoje, não sei se eles são mais sensacionais no palco ou nas coxias - mas devo confessar minha felicidade de poder contar com eles em ambos os lugares. Como as notícias boas nunca são demais, meu primeiro texto infantil, O Dia Das Crianças, está quase pronto para estrear. Trata-se de uma produção dos Satyros - a primeira experiência do grupo com um texto infantil. Dirigida por Ivam Cabral e Rodolfo Garcia Vazquez, o Dia das Crianças traz no elenco um time de primeira: Gaion, Penna, Frampton, Cléo, Zeza e Thiago. O Ivam, o nosso atual maluco beleza, resolveu convidar algumas celebridades para participar da peça por meio de gravações em vídeo. Até o momento, Claudia Raia, Marcelo Médici, Dan Stulbach, Denise Fraga, Adriane Galisteu, Renato Borghi e os Parlapatões já toparam. Com isso, O Dia das Crianças promete nascer como o espetáculo infantil com o elenco mais famoso do mundo!
Ao lado de tudo isso, continuei com minhas reportagens na Revista Bravo e no Diário do Comércio e com minha participação na equipe que está criando o Curso Superior de Artes Cênicas do Senac.
Depois de tudo isso, talvez as pessoas não concordem comigo quando eu digo que sou um pouco preguiçoso. Mas no fundo, sou mesmo.
E também vou prometer uma coisa: a partir de agora, eu gostaria de usar este espaço para falar menos de mim e mais do mundo. Ou, talvez, para falar mais do mundo a partir do meu ponto de vista - o que, de alguma forma, não deixa de ser falar de mim mesmo. Mas não queria que estes apontamentos, anotações, impressões ou sejá lá o nome que isso venha a ter, sirvam apenas para orbitar em torno do meu próprio umbigo.

Um comentário:

Roberto Romano Taddei disse...

Ouou! Peguei seu recado, mas acho que tarde demais. O blog, enfim, está atualizado. Agora vamos lá, todos os dias...