quarta-feira, março 21, 2007

Minha apimentada noite com o Ronnie Von


Muita gente de teatro que eu conheço já tinha ido ao programa do Ronnie Von (aqui ele está bem mais novinho, hein). Na segunda-feira eu finalmente fui. O Ronnie é uma graça de pessoa, um lorde. Educadíssimo. Deixa a gente falar à vontade, dar recados, mandar beijos e, o que é melhor, fazer um monte de propaganda sobre o que a gente anda tramando. No meu caso, fui para falar da peça Andaime, em cartaz no Teatro Vivo, com o Cláudio Fontana e o Cássio Scapin no elenco. O Ronnie já tinha lido as críticas que o Estadão e a Folha publicaram sobre o espetáculo. Ele é cúmplice, parece torcer sinceramente pelo sucesso de cada um dos seus entrevistados, ainda que o esteja vendo pela primeira vez.

Tevê é uma coisa complicada. Ela não dá uma segunda chance. Se você falou alguma bobeira, pronto, já era. Tão diferente do jornal, em que ainda é possível se arrepender da palavra infeliz. E voltar atrás. Mas na televisão é um tiro só. Se ele sair pela culatra, azar o seu. Cheguei nervoso ao estúdio, sempre me achando gordo demais, bochechudo demais, barbudo demais e interessante de menos....Quando vi que meu companheiro de bancada era o amigo Marcelo Mansfield, respirei aliviado. Eu já falei tantas besteiras ao lado do Mansfield que, em último caso, o programa do Ronnie Von seria só mais uma delas. Mas eu acho até que a gente se saiu muito bem. O tema da entrevista era engraçado: como se desapaixonar e dar a volta por cima... Seria bem legal se a gente soubesse fazer isso. Durante o programa, eu me senti um pouco como o Lula: falando, falando, falando com muita propriedade sobre coisas que eu não entendo. E percebi como este jogo é sedutor. Enquanto conversávamos, o brilhante chef Fabio Boschero , do Hotel Hilton do Morumbi, preparou um filé migon ao molho de pimenta. Foi o mesmo prato que ele serviu ao presidente Bush há 15 dias, quando o doidão visitou São Paulo. Além do filé, que Bush pediu bem passado, para horror do chef, o presidente dos americanos ainda se lambuzou com um monte de asinha de frango assado. O filé do Fabio estava uma delícia. No ponto, macio, suculento. O problema era o molho de pimenta branca... Uau, na primeira garfada, pensei que minha garganta fosse pegar fogo. E eu já tinha bebido toda a água durante a entrevista, para afogar meu nervosismo. O jeito foi me socorrer com vinho... Se o Bush come sempre toda aquela pimenta, não é de admirar que ele saia bombardeando o país dos outros... Tem coisas que exigem mesmo retaliação. Ah, o Ronnie é mais baixinho do que eu pensava. Mas a mulherada o ama de qualquer maneira.

5 comentários:

Flávia disse...

Poxa, queria ter visto isso! Quanto as mulheres gostarem dele, não tenha dúvidas: minha mãe não perde um programa! ;-) Beijo!

Ismael C. disse...

foi ao vivo??? já passou???

Blog do Massa disse...

Oi, Ismael, queridão. Foi ao vivo, sim. Passou na segunda-feira. Mas eu sempre fico com vergonha de avisar...Mas contei esta historinha especialmente pra você, te juro. Flavinha, acho que todas as mães gostam do Ronnie Von, né?

Adriana disse...

Olá Sérgio! Primeiramente parabéns pelo blog. Adorei, virei sempre visitá-lo.
E parabéns pelo texto Andaime.
Um beijo!
Adriana

Ismael C. disse...

agora promete q de hoje em diante o senhor vai usar esse blogue para aumentar a audiencia dos programas em q participa e deixar a gente participar um pouquinho da festa... nem q seja do sofá!

pelamor senhor!!! não nos tire o doce!!!