quinta-feira, abril 26, 2007

Selton Mello

Entrevistei Selton Mello apenas uma vez. Foi em meados de 2003, quando ele estreava como diretor teatral no espetáculo Zastrozzi, que em São Paulo ficou em cartaz no Teatro Folha. A entrevista foi marcada para as 14h de uma terça-feira, na lanchonete America do Shopping Pátio Higienópolis. Cheguei no horário. Selton estava começando a almoçar e o assessor de imprensa me disse que a entrevista poderia ser feita enquanto ele comia. Achei melhor esperar. Nun ca gostei de entrevista durante o almoço: o entrevistado não come direito e a gente não pergunta direito também. Quando terminou o almoço, ele mandou me chamar. Assim que me sentei à mesa, ele pediu para que um garçom lhe trouxesse um milkshake de chocolate. Para ele. Tive a certeza de que nenhum ator preocupado em ser apenas um galã saradão tomaria um milkshake de chocolate imediatamente após o almoço. Durante boa parte da entrevista, ele manteve as duas mãos ocupadas: a esquerda, com um cigarro; a direita segurando o canudinho do milkshake. A entrevista foi publicada dois dias depois na capa do caderno de Variedades do Jornal da Tarde.

Depois desse nosso primeiro contato, voltamos a nos falar por e-mail, com uma frequência que eu gostaria maior. Selton Mello é, para mim, o grande ator do cinema brasileiro. Ainda que às vezes os filmes pareçam obrigá-lo a permanecer num tipo mais ou menos confortável, sempre se percebe nele uma queda incontida pela ousadia, uma vontade incubada de tentar o diferente, o inovador, o provocador. Selton faz, aqui, o que Johnny Depp faz em Hollywood: os dois poderiam passar o resto da vida fazendo apenas o que sabem fazer bem - atuar. Mas isso parece pouco para dois dois. A cada novo trabalho eles parecem ir mais fundo em algo que talvez nem saibam exatamente o que seja, contanto que seja diferente do anterior. E, se possível, mais ousado. Preservam a vida pessoal, não posam de gatinho, ficam feios se os papéis exigem, engordam, emagrecem e, o melhor de tudo, não estão nem aí para o politicamente correto. Duvido que qualquer um dos dois estivesse disposto a correr o mundo em busca de uma nova criança para adoção.

Logo após a estréia de O Cheiro do Ralo, voltei a falar com Selton, novamente por e-mail. De tudo que ele falou - e nem foi tanta coisa assim - houve algo que me chamou muito a atenção. Segundo ele, o filme representou uma viagem solitária, muito solitária. "Eu nem estava ali", revelou. Não sei como é o trabalho num set de filmagem, não sei como é ficar solitário no meio de técnicos, cameramen, diretores, iluminadores e mais uma porção de gente que deve circular pelos estúdios. Mas, ao ver o filme pronto - e o filme pronto é o que nos interessa, em última análise - senti que muita gente embarcou na viagem de Selton. Na tela, podem dizer tudo a respeito dele, mas nunca que ele está sozinho. Tudo me leva a crer que existe uma platéia cada vez mais ávida por acompanhá-lo em cada passo que ele dá.

2 comentários:

fran disse...

eu gostei do filme. é pesado, é realista e não só pessimista e é até irônico. realmente, o selton construiu um personagem bom demais. é um belo FDP! e aquele final.
mas o melhor pra mim é a cara e o jeito que ele fala "ah, nao tem nada pra oferecer. então abaixa a calça e mostra a bunda". riso

Anônimo disse...

eu amo seu trabalho em tudo,vou direto ao assunto q me faz passar esta msg ,selton sou fascinada por teatro,e faço a 4 anos fazia antes ate eu entrar em uma depressçao profinda por saber q era filha adotiva com 22 aqnos ,hj tenho 31,selton nunca mais consegui atuar e fui trabalhar como publicitaria,mas era triste,estive ao rio varias vezes,mas acbei não tendo opçoes por não conhcer ninguem pra me ajudar entrar no meio artistico,mas não desisti,se por acso esta msg chegar ate vc selton ,q neu anjo da guarda te toque e faça vc ver com os olhos do coração e enchergar q min ha felicidade esta no atuar,no poder contracenar,vem da lama qdo estou em cena ,no meu caso no teatroe não tem bem estar maior a minha pessoa ,selton se vc ver esta msg ,entra no meu face michellecamposcampos,e vera q tenho perfil ,so presciso de uma mão.,desculpe pela minha cara de pau,mas se vc quiser delete agora esta msg ,so não ria ,pq do fundo da minha alma ,ai esta apenas um sonho de conseguir suprir este vazio q sinto sem esta fazendo oq eu mais amo ,em de uma mão q o resto eu faço,e farei bonito ,pq ai esta minha real felicidade...atuar,meu e-mail eh mikacamposrp@hotmail.com