domingo, setembro 30, 2007

O estranho mundo de Nuno Cobra

Neste domingo eu assisti, pela primeira vez, a alguns trechos da programação da Record News, o novo canal de jornalismo da Rede Record, que, se não me engano, entrou no ar na terça-feira da semana passada. Depois de algumas imagens do arquivo da emissora, com destaque para os festivais de música e os programas de humor dos anos 60, entrou no ar uma longa entrevista com Nuno Cobra, famoso por ter sido o preparador físico de Ayrton Senna e ter escrito, logo após a morte do piloto, um best-seller com orientações sobre alguns cuidados que, na opinião dele, são imprescindíveis à saúde física e mental. Foi um depoimento interessantíssimo porque não suscitou aquela velha motivação de concordar ou não com o entrevistado. Ao contrário, a entrevista nos fez pensar em que mundo vive Nuno Cobra. Ou, melhor ainda, em que mundo vivemos nós.

Em primeiro lugar, ele disse que não acredita em doenças e, por isso mesmo, é avesso a qualquer tipo de medicação. Caso não tenhamos chegado ao mundo já portadores de alguma doença genética, nosso destino é ser irremediavelmente saudáveis. Segundo ele, nossa propensão à saúde é tão grande, mas tão grande, que precisamos de um esforço imenso, do nosso corpo e da nossa mente, para adoecer. O equivalente a dizer que cada uma de nossas doenças seria o resultado de algum tipo de armadilha que armamos para nós mesmos.

Em outro momento da entrevista, Cobra disse que nosso dia deveria terminar, no máximo, às 19h30. Qualquer atividade além deste horário seria uma temeridade. Temos de ir para a cama, de acordo com suas lições, assim que escurece. No inverno, o ideal seria que nos escondêssemos debaixo dos cobertores por volta das 18h30, logo após o jantar, que deveria ocorrer às 18h. "Se a família se reunisse às 18h para jantar, haveria tempo suficiente para a refeição e uma boa conversa até as 19h30, quando todos deveriam se recolher", disse ele. "Mas e todos os nossos compromissos, o nosso trabalho e o nosso lazer, que geralmente avançam até muito mais tarde?', perguntou a repórter. "Tudo o que fazemos depois das 19h é um desrespeito ao nosso corpo, é um desrespeito à nossa milenar herança genética, um desrespeito aos nossos antepassados, que se recolhiam quando o sol se punha. Nosso corpo está programado para se deitar quando escurece, ele pede isso".

Num outro trecho, ele disse que anseia pela chegada do dia em que um político em campanha vai prometer fechar paulatinamente os hospitais - porque a população, saudável, já não vai mais precisar deles. Neste momento, o nosso Ministério da Saúde deveria ser chamado de Ministério da Doença, já que ele parece apenas administrar epidemias, calamidades e morte. Quando ele fizer jus ao nome de Ministério da Saúde, hospitais e clínicas poderão ser fechados, pois seremos uma nação pronta para passar bem longe dos consultórios médicos.

Pensei muito na entrevista de Nuno Cobra e, com todo respeito à sua já comprovada experiência, eu acho que não gostaria de viver neste mundo que ele desenhou, não. Talvez seja legal realmente passar longe dos hospitais, não adoecer, comer bem e todas estas coisas. Mas, tirando aqueles longínquos anos da infância, eu sempre acho que o bom da vida - e juro que não há nenhuma conotação sexual nisso, embora não haveria problema algum se houvesse - se dá justamente depois, bem depois que o sol se põe... Nuno Cobra gosta das galinhas. Eu prefiro as corujas.

19 comentários:

Rafinha Jzt disse...

Adorei. Vejo grande radicalismo por parte do Cobra em afirmar "todos pra cama após as 19h".. até minha mãe pega mais leve, rs. Mas fica a questão do respeito - não aos ancestrais - mas ao nosso próprio ser. Hoje é comum termos a visão de que "dormir é perda de tempo". Acho que dormir está mais para um investimento a longo prazo. Preciso começar o meu!!!

Abraços! :D

Blog do Massa disse...

Vamos combinar com o Nuno Cobra de estender este horário até umas onze da noite, pelo menos?
Imagina sete e meia no horário de verão: a gente tem de passar bronzeador pra ir pra cama....

Ricardo M disse...

Tenho que dar o braço a torcer e concordar com o Nuno Cobra: eu também gosto de galinhas.

Elfo disse...

Creio que o problema dessas pessoas que defendem a não agressão a uma tal “programação” natural, que eu chamo de contra-evolucionistas, é que se eles estivessem certos, para desespero de Darwin, ainda estaríamos balançando em árvores. Grande Abraço.

Anônimo disse...

Não sou médico, mas posso opinar sobre observações. Não quero defender o entrevistado, mas o fato é que ele já está beirando os 80 anos de idade e sempre que o vi em entrevistas, apresenta uma disposição física invejável, além da ótima lucidez e rapidez de raciocínio. Outro fato são os esportistas que ele treinou, os quais atingiram pontos máximos em suas carreiras. Talvez o motivo de não termos tantos esportistas de sucesso seja que nós, brasileiros, temos mais o hábito de gostar de coruja do que de galinha.

Anônimo disse...

Não sou médico, mas posso opinar sobre observações. Não quero defender o entrevistado, mas o fato é que ele já está beirando os 80 anos de idade e sempre que o vi em entrevistas, apresenta uma disposição física invejável, além da ótima lucidez e rapidez de raciocínio. Outro fato são os esportistas que ele treinou, os quais atingiram pontos máximos em suas carreiras. Talvez o motivo de não termos tantos esportistas de sucesso seja que nós, brasileiros, temos mais o hábito de gostar de coruja do que de galinha.

Ricardo disse...

é realmente. Adoro o nuno, li o livro dele,e pratico atividade fisica conforme ele recomenda, ous eja, numa faixa cardiaca confortavel. porem algo me incomoda quando ele diz em carga genetica, em herança genetica, que fomos projetados pra dormir cedo e tal. isso confronta com a teoria da evolução da Darwin de quem eu admiro muito tambem. abraços.

Anônimo disse...

Elbert Leão:
Eu gosto muito do Nuno Cobra, pois só consegui correr 5km após ler seu livro. Mas, concordo que não temos que ser radicais.
A visão do Nuno parece ser: Viva 100 anos a 10, ou viva 10 a 100.
Eu acho que em ambas você deve é curtir...
E, o Nuno está com 70 anos.

Só no blog disse...

Oi, Elbert, tudo bem? Concordo com você. Acho que em qualquer teoria, a gente deve usar aquilo que nos faz bem e nos interessa. Não é a tudo que a gente consegue se adaptar mesmo, não é? abração

Anônimo disse...

Eu concordo com o NUNO COBRA e tenho naturalmente, quero dizer, sem sacrifício algum, uma forma ou maneira de vida parecida com a dele. Gosto de dormir cedo e acordar cedo sem despertador. É algo natural. Se você se acostuma a dormir cedo acordará também cedo e o mais importante, sem ressaca alguma. Nunca fumei, bebi nem tomo refrigerante de maneira alguma. Estou com 53 anos.
O importante na vida é fazer aquilo que gosta sem sacrifício. Cada um é dono da sua vida e deve ter a liberdade de escolher como quer viver. Só que existe uma diferença entre viver e viver bem.

nehemias disse...

Eu também vi esse dia na Record News. Gostei da entrevista. A sociedade atual tem um modo de vida em que ninguém tem tempo para mais nada. O Nuno Cobra simsplemente indicou a maneira certa de dormir. Se é fácil ou difícil, não importa nem um pouco. É o certo. Sempre que aparece uma solução dessa, logo dizem "isso é muito radical". Então, tá, continua aí como está, dormindo tarde e acordando cedo com dor de cabeça e já cansado. O lance da luz realmente é importante. A TV, o PC, as lâmpadas só enganam nossos olhos e cérebros, fazendo eles acreditarem que essa luz seria a do sol. E por isso a gente já acorda cansado.
Isso não quer dizer que a gente não pode dormir mais tarde um dia ou outro, por causa de uma festa ou algo assim. Agora, tem gente que acorda as 6h da manhã e 23h ainda tá na academia, aí chega em casa e vai ler e-mails, depois vê tv, aí dorme 1h da manhã e as 6h já tá de pé de novo, após o despertador tocar e praticamente o coração sair pela boca. hehe. O corpo não aguenta, não foi preparado para isso.

Anônimo disse...

Sou simpatizante do Nuno Cobra, pois sou atleta e só atletas, pessoas realmente preocupadas com o bem estar, saúde fisica e mental são GALINHAS sim, como disse meu amigo Nuno.
A noite foi feita para descansar, dormirrrr, ops baladeiros que me desculpem ou melhor corujas...rsrsrs vcs com 30 anos vão estar com a cara igual ao um maracujá murcho, e o cardiovascular bem debilitado.... Viva ao esporte, comida saudável e sono e noites tranquilas...

Gerson Teles disse...

bom dia Nuno

Sou Gerson tecnico de tae kwon do da seleçao Catarinense de tkd, tenho atletas que sao campeao brasileiro gostaria de te conhecer vc dara uma palestra em nosso cidade.Gostaria de fazet convite para conhecer nosso centro treinamento em Caçador SC

meu email gerson@fctkd.com.br

André disse...

Todo sedentário tem dificuldades em entender seu corpo. Não é surpresa que estes que acham que tem boa saúde questionem o Nuno Cobra. Na verdade só tem ausência de doenças, cedo ou tarde o corpo cobrará a vida de "corúja"... abraços

Gabriela disse...

Gente, numa entrevista não há tempo para construir as ideias que são ali colocadas, veiculadas.
Claro que todo o método do Nuno é um ideal..mas um ideal plenamente alcançável. Se nem todas suas orientações são viáveis, então que tentemos seguir aquelas que são coerentes com a vida que queremos buscar.Quem leu o libro "A semente da Vitória" vê que as orientações não são rígidas. Ele faz a todo momento uma ponderação..colocando o que seria ideal e o que seria essencial, para que cada um busque o seu equilíbrio. Pontuando, por exemplo, essa qeustão do horário de dormir, no livro ele diz que é quando escurece que nosso corpo dá os primeiros sinais de sono, seria o primeiro pedido de repouso...mas q não obrigatoriamente devemos dormir nesse horário..mas que se o fizermos isso seria muito saudável para nosso corpo e nossa mente. Ele coloca como limite irmos dormir às 23h, diariamente e salienta que essa deva ser a regra mas que 1 ou 2 dias por semana dormir às 3h ou 4h, não acarretaria prejuízo, pois seriam exceção. Ele não é nada radical, recomendo a leitura integral da obra para críticas mais substanciais.

Anônimo disse...

Tenho a concepção de que o corpo reage bem quando você faz aquilo que gosta. O corpo é um instrumento, mas um instrumento que possui limitações que precisam ser respeitadas. Por exemplo, gosto de estudar até as 2:00 da matina. Meu corpo responde bem e quando acordo me sinto bem. Creio que a questão seja: devo condicionar a minha mente ao corpo ou o meu corpo à minha mente?

vera disse...

Realmente, dormir cedo, dormir no mínimo 8 horas por dia, não precisar ir a hospitais porque não ficaríamos doentes, ter o privilégio de comer somente comidas saudáveis feitas por nós mesmos, almoçarmos bem devagar, ir para a cama as 19:30hs no máximo, deve ser muito bom.Mas a realidade é: levantar as 6:00(com muito sorte) muitos levantam bem antes disso, trabalhar o dia inteiro, depois faculdade até tarde, ônibus lotado, chegar em casa muito, muito tarde, comer alguma coisa rápido, dormir(se der sorte) pelo menos 5 horas por dia e começar tudo de novo.Essa é a realidade da maioria do povo brasileiro.Não é gostar de dormir com as corujas, é não poder dormir com as galinhas.Um dia quero fazer parte desse mundo em que vive Nuno Cobra.

Anônimo disse...

olho esse mundinho loco que esta ai, Nuno Cobra esta com toda a razao.

Sandra disse...

estou lendo a semente da vitória de nuno cobra o qual o livro é fantastico e recomendo a todos quanto ao horário para dormir ele recomenda oito horas diárias, é bom ler o livro pra entender , se tivesse lido a alguns anos atras não teria feito duas cirurgias o qual quase me tirou a vida!